Follow by Email

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

O MISTÉRIO DOS MORCEGOS

Mamíferos voadores? Sim eles existem, têm asas mas não põem ovos nem possuem bico.

Os morcegos, esses seres que nos despertam tanto medo quanto curiosidade, pelas suas características únicas e inconfundíveis, têm sido ao longo dos tempos símbolo de tudo que envolve magia, mistério e escuridão, como a época festiva em que nos encontramos, o Halloween.

A sua característica mais emblemática são as suas asas, formadas por uma camada dupla de pele que se estende das laterais do corpo até aos 4 dedos alongados de cada pata anterior. As suas patas e dedos muito longos são na verdade a estrutura das suas asas.

Outra das suas características fundamentais é a ecolocalização que eles utilizam para voarem no escuro, que se caracteriza pela localização à distância de objetos ou animais que possam ser obstáculos ao seu voo através da emissão de vocalizações e o tempo gasto para que estas sejam emitidas, refletirem no alvo e voltarem à fonte sob a forma de eco.

Os morcegos insetívoros usam esta capacidade para detetar presas em pleno voo, os intervalos da sua vocalização vão ficando mais curtos à medida que se aproximam de presas voadoras como borboletas e mosquitos por exemplo.
Existem mais de 900 espécies diferentes de morcegos, entre elas estão os famosos vampiros que se alimentam de sangue e deram origem a um imaginário de estórias sombrias como a lenda do Conde Drácula.

O facto de serem animais que se encontram ativos durante a noite e que necessitam da escuridão das grutas e cavernas para se recolherem durante o dia, confere-lhes um simbolismo de magia e mistério, que é muito diferente dependendo da cultura.

Não é só ambígua a sua fisiologia por ser o único mamífero capaz de voar, mas também existe ambiguidade naquilo que ele representa no mundo ocidental e oriental.

Nas culturas ocidentais o morcego possui uma simbologia negativa e está associado a universos sombrios, à morte e à noite. A imagem do morcego está relacionada ao vampiro, o Príncipe das Trevas, por ser um animal que suga o sangue de outros. Na China o morcego simboliza renascimento, felicidade, sorte e vida longa. O morcego simboliza, por ser um animal noturno, o desafio de atravessar a escuridão, enfrentando as dificuldades, para encontrar o caminho da luz e do bem.

Em Portugal existem perto de 25 espécies diferentes todas protegidas por lei, ao abrigo da Convenção de Berna e Diretiva de habitats. Nas últimas décadas tem-se assistido a um declínio nas populações de morcegos, em particular na Europa. Esta situação ocorre também em Portugal, onde nove espécies têm estatuto de ameaça desfavorável, nomeadamente Criticamente em Perigo, Em Perigo ou Vulnerável .

As suas principais ameaças são a destruição de abrigos, a utilização de pesticidas, a escassez de alimento, a perturbação dos abrigos por visitantes, a colisão com aerogeradores e o atropelamento.

Todos os morcegos que habitam no nosso país são insetívoros, não existem portanto vampiros em Portugal, os únicos que conseguirá ver por aqui são as personagens das lendas sombrias em noite de Halloween.


Sem comentários: