Follow by Email

domingo, 28 de outubro de 2012

ABC da Natureza

EEP (Programa Europeu de Reprodução de Espécies Ameaçadas): permite uma ação conjunta dos parques zoológicos para manter populações geneticamente saudáveis para que se reproduzam com o objetivo final da reintrodução em habitat natural. Este programa é muito intensivo e inclui análises demográficas e genéticas para a elaboração de planos para o futuro maneio das espécies tendo sempre em vista a sua reprodução e formação de populações saudáveis estáveis para a sua conservação.

ABC da Natureza

ETIS: Sistema de Informação sobre o Tráfico de Elefantes (The Elephant Trade Information System). É um sistema de informação global que pretende analisar o comércio ilegal de marfim e outros produtos de elefante. O seu objectivo é registar e analisar as tendências deste tipo de comércio ilegal, ao invés do abate ilegal de elefantes. Centra-se num banco de dados acerca das apreensões ocorridas em todo o mundo desde 1989. Este sistema de informação tem sido gerido pela TRAFFIC em nome dos membros da CITES e atualmente tem sede em Harare, no Zimbabwe.

ABC da Natureza

ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL: Processo dinâmico que tem como objetivo estimular os comportamentos naturais de cada espécie. Melhora o bem-estar animal, evita comportamentos estereotipados e possibilita uma futura reintrodução na Natureza.


Os enriquecimentos podem ser feita a vários níveis: 

Socialtem em vista os hábitos sociais da espécie. Assim, um animal gregário como a Zebra ou a Suricata estará com outros animais da sua espécie na mesma instalação. 

Alimentarpromove a procura de alimento e a caça, através da introdução de itens alimentares diversos com maior ou menor grau de dificuldade de alcance, tal como aconteceria em habitat natural.

Físicoé o que tem em conta as estruturas da instalação e a locomoção dos animais. Utilizam-se cordas, lagos, redes, plataformas de madeira, tudo para tornar a instalação mais naturalista, de acordo com o habitat.

Sensorialpretende-se estimular os sentidos dos animais, oferecendo-lhes cheiros e texturas diferentes. Nos felinos, por exemplo, este enriquecimento estimula a marcação de território, um comportamento natural que se pretende que os animais continuem a demonstrar.

Ocupacional, pretende-se com este tipo de atividade, estimular a atividade dos animais, proporcionar-lhes ocupação para que se mantenham ativos. Despertar-lhes interesse é um grande desafio e pode ser feito através da introdução de objetos ou até alterações na instalação.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O regresso do príncipe!

O projecto de reintrodução destes animais no Cáucaso consiste na reprodução destes animais no Socchi National Park, para posterior reintrodução das crias. Todo este processo foi iniciado com o programa de enriquecimento ambiental e construção de caixas para o transporte. O Enriquecimento ambiental serviu para estimular os comportamentos selvagens nestes animais para facilitar a sua ida para o novo espaço.
Em relação às caixas foram construídas para permitir uma transporte seguro, cómodo e com o menor stress possível. O Jardim Zoológico contribuiu com um casal que foi levado para Moscovo no dia 20 de Outubro, sendo que depois foram transportados para Socchi, Rússia, onde se encontram neste momento.
Para o Jardim Zoológico é um enorme orgulho poder mais uma vez contribuir para a Conservação de espécies e neste caso do Leopardo-da-pérsia.



sábado, 20 de outubro de 2012

O Príncipe da Pérsia



O Leopardo-da-pérsia é uma das 8 subespécies de leopardo reconhecidas que podemos encontrar no planeta. O tamanho varia consideravelmente, consoante a região geográfica de distribuição, mas as principais características são partilhadas por todas as subespécies. É típico destes felinos apresentarem pernas curtas e poderosas e possuírem no seu pelo, rosetas pretas nas costas, flancos, ombros e ancas e pontos negros e manchas na cabeça, pescoço, peito e barriga.
Os Leopardos têm uma dieta abrangente, sendo capazes de se adaptar a qualquer variação de disponibilidade de presas. No caso do Leopardo-da-pérsia varia consoante as presas que existem naquela região, ou seja, podem-se alimentar de cabras, muflões e javalis. A sua estratégia de caça passa por arranjar pontos vantajosos como árvores e rochas, para localizar as presas e silenciosamente fazer a sua perseguição. São territoriais como a maioria dos felinos e marcam o seu território com uma grande variedade de sinais como urina e arranhões nas árvores. Normalmente são solitários, sendo que por vezes mesmo após o acasalamento machos e fêmeas podem ficar juntos por algum tempo.
Estão ameaçados essencialmente devido à fragmentação do seu habitat que acaba por separar populações de animais. A caça e a diminuição das suas presas também contribuíram largamente para o declínio desta espécie.
No Jardim Zoológico, esta é uma espécie que tem tido muito sucesso reprodutivo, sendo que nos últimos anos nasceram 8 crias, fruto do trabalho de excelência efetuado pela equipa de tratadores e veterinários.
Neste momento está a ocorrer o processo de reintrodução destes animais na Rússia, do qual vamos ter mais notícias no futuro. Para já podem acompanhar o processo através dos links abaixo: 

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Línguas ! ! !

Como sabes é na língua que temos um dos nossos cinco sentidos, que é o paladar, permite-nos sentir o sabor dos alimentos. Será que as línguas são todas iguais? Se pensares nos animais domésticos, o cão tem uma língua mais comprida e a do gato até é áspera, para poder usá-la como se fosse um pente enquanto se lambe.
Aqui no Jardim Zoológico, podemos dizer que temos línguas para todos os gostos, a dos nossos gatos, como os tigres e leões são parecidas a do gato, mas muito maiores. A língua do Urso-formigueiro-gigante, ganha no tamanho, pois tem uma língua de 60 cm, usa uma fita-métrica aí em casa para veres de que o seu tamanho. Ora este comprimento permite-lhes apanhar as formigas que se encontram dentro dos formigueiros.
 A Girafa-de-angola, também não fica atrás, porque a sua língua tem 40 cm assim consegue puxar os ramos das árvores a volta dos quais enrola a sua língua, esta língua é escura e dura, para os proteger dos espinhos que as acácias têm.
As serpentes, como a Pitão-da-birmânia, ou o maior lagarto do mundo, o Dragão-de-komodo, têm a língua bífida, ou seja, a ponta dalíngua está divida em duas.
Por fim temos as línguas que fazem lembrar a nossa como as dos Chimpanzés. 
Como vês existem muitas línguas diferentes!

Classe Arachnida

Esta semana vamos falar de uma classe especial, a dos aracnídeos ou seja das adoradas por uns e odiadas por outros as aranhas e sem dúvida desconhecidas de muitos na sua biologia.
Tarântula-rosa
No Jardim Zoológico temos a Tarântula-rosa, habitam em zonas áridas, medem cerca de 14 cm, têm o seu corpo dividido em cefalotórax e abdómen, é aqui que têm pêlos que podem soltar quando se sentem ameaçadas. 
Ao contrário de classes como os mamíferos ou os répteis, estes animais não têm um esqueleto, não são vertebrados, mas têm um exoesqueleto, ou seja uma estrutura externa de quitina que os protege do meio exterior, à medida que vão crescendo mudam o seu exosqueleto, de outra forma não poderiam crescer.
Quanto à sua alimentação, caçam por emboscada, usam o seu veneno, que não é letal para o Homem, mas pode provocar reações alérgicas.
A digestão das presas é feita externamente ao seu corpo, ou seja ocorre uma pré-digestão na qual usa sucos gástricos que injeta com as suas queliceras que são estruturas que estão sobre a sua boca. Os nutrientes são absorvidos no intestino e passam para a hemolinfa, uma vez que estes seres vivos não têm sangue.
Em termos reprodutivos, são ovíparas, a fêmea faz posturas de cerca de 100 a 250 ovos. Uma curiosa característica que apresentam em termos reprodutivos, é que o macho após o acasalamento morre.
Por tudo isto são seres a compreender e aceitar sem medos.

Do deserto à floresta de coníferas

Taiga no Outono
Falamos esta semana, de mais um habitat que é conhecido por floresta de coníferas ou taiga, que se caracteriza pela predominância de coníferas, ou seja, pinheiros e cedros. Podemos encontrar as Taigas em diferentes regiões do globo, na América do Norte principalmente no Canada e Alasca, também na Europa, na Suécia, Finlandia, assim como na Rússia. É o habitat predominante na porção terrestre do nosso planeta e apresenta um clima semelhante ao ártico, sendo que raramente sobre acima dos 20ºC. 
Encontramos nestes locais dois tipos de estações, o inverno e o verão no qual o período de luz é maior.
Ao olharmos para as plantas que habitam nestes habitats, verificamos que as suas copas são em cone e as folhas são em forma de agulha, são adaptações à neve e também as temperaturas frias, porque apesar de haver muita neve não há muita água disponível para as plantas, principalmente durante o inverno, isto porque se encontra maioritariamente sobre a forma de gelo ou neve.
Urso-pardo
Quanto aos animais que aqui habitam, como os lobos, ursos, lebres também têm que ter algumas adaptações às baixas temperaturas, por isso quando chega o inverno alguns optam por hibernar que é o que se passa com o urso, por exemplo. 
Este habitat em particular, está ameaçado por causa das alterações climáticas, visto que com mudanças bruscas nas temperaturas, os seres vivos que habitam nesta região e que estão habituados a viver com as duas estações poderão não ter capacidade para se adaptar a essa mudança.

Porque é que eu preciso de um telemóvel novo?


Sabias que cada vez que compras um telemóvel novo podes estar a contribuir para a extinção dos gorilas?
Parece-te impossível?!
O que é que uma coisa tem a ver com a outra afinal?

Gorila-da-Montanha
As várias subespécies de gorila encontram-se sobretudo nas florestas tropicais e florestas montanhosas da República Democrática do Congo. Este país tem enfrentado numerosas crises políticas e conflitos armados graves que tem tido consequências diretas não só sobre as populações humanas como também sobre a vida selvagem. Para além disso, a desflorestação, para a obtenção de madeiras exóticas (por exemplo), a caça para obtenção de troféus (crânios, mãos, etc.) ou de carne para vender nos países desenvolvidos, da Europa ou EUA, e as doenças humanas facilmente transmissíveis aos primatas, têm tido implicações graves na conservação dos gorilas. A IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) classifica-os, neste momento, como criticamente em perigo.
Mas não é tudo... A exploração mineira de tantalite, embora altamente rentável para a República Democrática do Congo, tem um preço demasiado elevado para o ambiente e os seus habitantes. A exploração de tantalite sobrepõe-se à área de distribuição de gorilas e outras espécies, levando a confrontos diretos e à destruição do habitat, e a sua utilização em componentes eletrónicos resulta, em última análise, numa enorme produção de resíduos tóxicos para o ambiente. Sem esquecer o facto de que é utilizada para financiar conflitos armados.
 As baterias de telemóveis, computadores e outros artigos eletrónicos têm na sua composição tantalum (extraído da tantalite), pela sua capacidade de armazenamento de carga elétrica. Cada vez que compras um telemóvel novo, só porque tem uma nova função, e desperdiças um antigo ainda completamente funcional, estás a contribuir para que a exploração mineira de tantalite se mantenha e que a área de distribuição dos gorilas e o número de indivíduos sejam cada vez menores.
Gorilas-ocidentais-das-Terras-baixas no Jardim Zoológico
A reciclagem pode ser uma solução, e agora encontras vários centros de recolha de materiais eletrónicos, mas existem outros dois R's que deves pensar em primeiro lugar - Reduzir e Reutilizar. Reduzir a compra de eletrodomésticos e outros objetos de que não necessitas realmente, e Reutilizar os que já tens, por exemplo, podes ficar com o telemóvel pessoal que o teu pai já não utiliza porque tem de andar sempre com o telemóvel da empresa.

E lembra-te, ser ecológico, também é ser económico... Não incentivas a exploração de tantalite e ao mesmo tempo não gastas dinheiro desnecessariamente!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O gigante prateado da floresta!


Macho no Jardim Zoológico
 Os Gorilas são os maiores primatas do nosso planeta. Apesar de serem muito corpulentos, ao contrário do que se vê nos filmes, não são agressivos nem assustadores, pelo contrário, são animais muito gentis. O macho é maior do que a fêmea e normalmente chamam-lhe “dorso prateado” por causa da cor prateada nas suas costas.
Organizam-se em grupos familiares, nos quais podemos encontrar um macho “dorso prateado”, que é dominante, várias fêmeas e crias. Uma curiosidade interessante sobre os Gorilas é que os seus narizes são sempre diferentes de indivíduo para indivíduo.
Durante o dia o grupo viaja junto, pela floresta, em busca de alimento e à noite cada gorila faz um ninho, no chão ou numa árvore, para dormir. O alimento destes animais é composto por frutas, sementes, folhas e por vezes, alguns insetos. O seu habitat natural é a floresta tropical húmida na África central, que está a ser destruída a um grande ritmo fazendo com que estes animais se encontrem criticamente ameaçados.
Fêmea com cria
 Esta destruição das florestas onde habitam, para alem de reduzir o seu habitat, ainda permite que os caçadores furtivos os encontrem com maior facilidade. Se nada for feito estima-se que em 2050, já não existam Gorilas no habitat natural.
No Jardim Zoológico tem sido feito um grande esforço para a conservação desta espécie, Gorila-ocidental-das-terras-baixas, com a contribuição para um projeto de conservação no habitat, com a participação na última campanha da EAZA sobre grandes primatas e com o melhoramento das instalações destes animais. Para uma contribuição ainda mais efetiva, felizmente nasceu um gorila pela primeira vez no mês passado, facto que nos orgulha bastante.
Para celebrar o nascimento da primeira cria de Gorila, o Jardim Zoológico está a realizar o passatempo 'Dá um nome ao Gorila bebé do Zoo'. Este passatempo pretende escolher o nome do mais jovem habitante do Jardim Zoológico. Para participares neste passatempo apenas tens de escrever a tua sugestão e enviar para o email promocao@zoo.pt até dia 10 de outubro, sem te esqueceres de indicar o teu nome completo e idade. Podes saber mais aqui.